quarta-feira, 29 de junho de 2011

Volta logo!

Dizem que só se dá valor a alguém depois que a perdemos. Bom, eu não perdi ninguém, mas descobri que odeio viagens que duram mais de 48h e não se podem levar quem ama. 48h por quê? As primeiras 24h são de uma saudade gostosa, ainda guardamos a lembrança da última palavra, do último abraço... Nas 48h sentimos a falta misturada com a saudade gostosa... Depois das 48h já bate um desespero, e daí contamos os dias várias vezes no calendário e descobrimos que ainda falta 1bilhão de anos até a volta! Eu começo a valorizar cada gesto, considerar cada defeito, relembrar cada risada que talvez não valorizasse enquanto estava por perto.
Lembro da música que minha prima Eula adora cantar: “Se fico um tempo sem te procurar é pra saudade nos aproximar e eu já nem vejo a hora...” É, se soubessem o quanto a saudade dói às vezes ninguém que ama e é amado viajaria tanto tempo por opção, só por obrigação. “Saudade mata a gente, saudade mata a gente, menina!”
Sei que estou parecendo uma boba melancólica nesse texto, coisa que não costumo ser, mas eu não falei que a saudade mata quem a gente é de verdade? Restam pra mim algumas semanas de livros, séries, DVDs e lembranças.
“Não quero mais esse negócio de você longe de mim, vamos acabar com esse negócio de você viver sem

1 comentários:

Eula Carrara disse...

atualizá tchá tchá tchá
atualizá tchá tchá tchá
atualizá tchá tchá tchá

<3