terça-feira, 26 de maio de 2009

Calça, carros pretos e ódio às balas de caramelo


Era uma vez uma garotinha que tinha suas bonequinhas, adorava se enfeitar, passava horas em frente ao espelho rodando e divertindo com o movimento que o vestidinho rosa com flores vermelhos fazia. Sentia profundamente o perfume que ela mesma passara no corpo, perfume esse que tinha que tomar banho logo após a brincadeira antes que sua mãe chegasse do trabalho e a pegasse naquela fantasia toda, em meio a batons e brincos e colares.

 

Mal sabia ela que o preço por adorar as coisas de meninas é caro.Um vestidinho inocente todo florido poderia lhe custar maus sonhos a vida toda. Rodar o vestidinho não desperta em todo mundo admiração em ver uma menininha. Em algumas pessoas más, desperta o desejo de poder violar aquela pureza toda.

Mas era só uma garotinha ingênua, como decifrar e saber que na mente de um homem dito do bem e amigo de sua mãe, pensamentos que eram maus? Afinal ele lhe trazia bonecas e balas de caramelo no sábado à tarde.

 

Em um desse ele apareceu com sua roupa fina, com cara de rico. Ela logo pensava em apresentá-lo às suas amigas como seu pai, era bonito e tinha um carro vermelho, coisa que nenhuma das outras meninas da escola tinha. A mãe dela não estava, e ele chegara exatamente na hora em que ela se aprontava pra um banho, a toalhinha branca toda desfiada e curta, talvez tenha sido usada sua infância toda e já com 11 anos mal cobria suas coxas.

"Senta tio! Mamãe só foi ali e ela sempre volta rápido." O homem logo apanhou a menina no colo, ela, claro, sempre interessada se deixou, talvez quem sabe uma bala de caramelo? Ou a promessa de uma boneca?

 

Mamãe demorava uma eternidade... Uma eternidade!

Dizem que o que é ruim demora muito e o bom dura pouco. E a menina poderia até completar que o ruim e dolorido demora mais ainda!

Mamãe voltou, o silêncio tomou posse, já de banho tomado, mas se sentindo imunda e adulta. A menininha deixou de ser menininha numa tarde de sábado.

Deixou os vestidos de flores, as bonecas, as balas de caramelo, e por fim, nunca mais quis ter um pai e nem carro vermelho. E em diante, só de calça, só calça!

segunda-feira, 25 de maio de 2009

Pequei



Davi disse a Natã: "Pequei contra o Senhor". Natã respondeu: " O Senhor perdoou seu pecado" (2 Sm 12.13s)

Natã aconselhou e conversou com Davi sobre a vida de pecados e a tristeza de Deus em ver assim seu próprio escolhido, quem Ele mesmo levantou.

O relato de Samuel não nos deixa saber detalhes da conversa de aconselhamento entre os dois naquele dia. O certo é que se Davi fosse como um dos outros reis de seus dias (e dos nossos) a cabeça de Natã teria rolado. Mas não foi assim que aconteceu, pois Davi é um homem de Deus como Natã e sabe humilhar-se. Em suas poucas palavras explode a confissão da culpa que o atormenta desde aquele dia em que pecou. Nós todos pecadores sabemos como é isso. Davi tem saudades de ser feliz, de estar alegre na congregação que louva ao Senhor quando presta culto. O Salmo 51 e 52 nos contam o que se passou no coração de Davi.

Devemos celebrar a misericórdia e a benignidade de Deus. Esse amor e esse zelo que manteve Davi em pé também nos sustentarão. O Senhor renova em nós a alegria de sua salvação. Confissão é difícil para você? 

Bom, eu sempre começo com:

"Senhor, pequei..."

quinta-feira, 21 de maio de 2009

Ter que ser alguém

Eu

Quero

Ser

Alguém

 

Encontrar

A mim

Já não sei

Eu invento

Amores

Dores

Para existir

Ressentimentos

Mágoas

Lembranças

Para existir

 

Eu

Quero

Ser

Alguém

 

Deus

É

 

Quem

 

 

 

 

Sabe

 

 

 

 

Dessa

 

Longa

Estrada

 

Chaninho, Chaninho... Vem cá vem?


Eu fico pensando o que tem a ver

Pessoas brigando comigo e eu brigando com você.

Eu poderia muito ser bem arrogante:

"Só Deus pode me dizer o que fazer!"

Mas até minha grosseria tem limite

Aliás, aqui dentro anda tudo meio limitado.

Sempre fui briguenta, mas ando com preguiça de brigar

O curta e grossa ta virando longa e fina...

Sei lá, não está valendo a pena.

O que será isso?

Eu gostava de comprar briga!

Não...

Será que "recebi" mansidão?

Eu?

A Ana Bacana doidona?

Calma?

Deus faz milagres.

Faz milagres!

Mas isso não significa que você precise pisar no meu calo.

Quer saber?

Pode pisar.

Eu não me importo!


estou mansa.

domingo, 10 de maio de 2009

Grande gênio


Sabe rasgar o peito?
Eu não faço.
Dói
Machuca
E pra que ficar com feridas abertas?

Sabe "se joga"?
Eu faço.
Dói
Machuca
E pra que ficar parado?

Sabe dizer que ama?
Eu não faço.
Dói
Machuca
E pra que se humilhar?

Sabe amor e ódio?
Eu faço.
Dói
Machuca
Mas pra que ser tão constante?

Sabe?
Mas pra que saber de tudo?


Sabia que o sabiá sabia sobiá?

Aprecio sem moderação

Ah!
Quero gritar feita louca.
Contar o que Deus faz comigo.
Ah!
Quero que quem eu amo passe por isso, sinta isso. É muito bom!
Acordar sorrindo e cantarolar feliz ao decorrer do dia.
Bater um papo com alguém que nunca vi na vida antes.
Poder ser livre para declarar meu amor a Jesus.
Deitar a cabeça no travesseiro, refletir, arrepender, me sentir perdoado.
Agradecer pelas belezas do dia.
Acordar num dia borrado.
Ficar de cara feia pra si mesmo no espelho.
Ser incapaz de sorrir para as pessoas na mesa de café.
Passar o dia contando as horas pra que termine.
Saudades, mágoas, brigas...
A noite no travesseiro, arrepender, me sentir perdoado e ser consolado.
"Foi só um dia ruim!"
Ah!
Quero gritar feita louca.
Contar o que Deus faz comigo.
Ah!
Quero que quem eu amo passe por isso, sinta isso. É muito bom!
Ouvir Dele é muito bom, eu não me canso..
Viciei!
Viciei!