terça-feira, 10 de março de 2009

[...]

Hoje quando acordei o quarto estava laranja, dormi com as janelas abertas e o sol já vinha surgindo para seu compromisso com o verão.

Fui apressada para contemplar o nascimento, fiquei meio tonta por ter levantado rápido demais. Parecia um dia como nas fábulas, tudo muito colorido, até passarinhos cantavam nas árvores do outro lado da rua e a trilha sonora se fez na minha cabeça com as músicas de Chopin...

Pensei no que dizer para Deus naquele instante, mas não me veio nada à mente.

Silêncio.

[...]

Mas como eu converso demais e o silêncio às vezes me incomoda:

“São muitas, Senhor, Deus meu, as maravilhas que tens operado e também os teus desígnios para conosco; ninguém há que se possa igualar contigo. E quisera anunciá-los e deles falar, mas são mais do que se pode contar.” Sl 40:5